quinta-feira, 12 de julho de 2012

O QUE RESTOU DO PT !!!!!!


Peço que publiquem esse artigo. É uma reflexão sobre as eleições desse ano, a situação do PT na Bahia e em Pernambuco. Desde já, obrigado.
" A derrocada de um partido" 
Há alguns anos atrás o PT, enfim alcançava o almejado lugar no cenário político brasileiro, exatamente no dia 27.10.2002 Lula era enfim eleito após algumas tentativas frustradas, era conduzido pelo povo o primeiro presidente operário do Brasil. No seu segundo mandato Lula foi eleito com mais de 60% dos votos válidos. Lula era apontado como um dos grandes líderes mundiais, como um dos mais influentes políticos da época.
Passado os seus dois mandatos, o então influente e poderoso Lula, tem se destacado nos noticiários, ora pela sua saúde ou por escândalos como a suposta tentativa de interferência no julgamento do mensalão e, também, pela sua malfadada aliança com o Paulo Maluf.
Quem não se lembra de frases marcantes de Lula sobre o Maluf?
Lula em 26 de Julho de 1988, na Gazeta Mercantil, “o símbolo da pouca vergonha nacional tá dizendo que quer ser presidente. Daremos nossa própria vida para impedir que Paulo Maluf seja presidente”.
Em 24 de Julho de 2000 durante campanha por Marta Suplicy, “O Maluf é quem devia estar atrás das grades e condenado a prisão perpétua por causa da roubalheira na prefeitura”.
Vale se aliar a um político que há tempos atrás era visto pelo mesmo como escória.
Na Bahia no dia 01 de Janeiro de 2007, enfim o PT, a vitória de Jacques Wagner era apontada pela imprensa nacional como o fim do Carlismo, ou seja, da forte influência do ex-governador Antônio Carlos Magalhães na estrutura de governo do estado da Bahia.
Em 2012 o governo de Jacques Wagner passa por greves de diversas categorias e pela sua intransigência em negociar. Em especial, a greve da policia militar em fevereiro de 2012 e a greve dos professores da rede estadual de ensino, essa perdura até a data de hoje. Ambas as greves trouxeram muito prejuízo à população baiana e fizeram de Jacques Wagner uma figura impopular e autoritária, lembrando os velhos tempos de Carlismo na Bahia.
Em Recife em clara demonstração de força, o governador Eduardo Campos lança candidatura do seu partido PSB, em razão de rachas internos dentro do partido do PT. Rachas que culminaram na “INTERVENÇÃO” do PT na tentativa de João da Costa à sua reeleição, o então prefeito foi preterido pelo o então Senador Humberto Costa.
Em entrevista recente o Deputado Federal Maurício Rands, anunciou a sua desfiliação e criticou o diretório nacional “Depois da decisão da direção nacional do PT, impondo autoritariamente a retirada à minha candidatura e a do atual prefeito, recolhi-me a reflexão”.
Em Petrolina o “CORONEL” Eduardo Campos na tentativa de enfraquecer o PT tentou de todas as formas fazer com que o pré-candidato Odacy Amorim desistisse da candidatura, chegando a tentar intervir na tentativa de aliança de partidos, tentando consolidar o projeto que ele intitula “Frente popular”.
Em Juazeiro, assim como em Recife o PT usa de intervenção, para barrar o então postulante a prefeitura Joseph Bandeira. Embora sem a mesma coragem de dizer aos quatro cantos que usou de intervenção.
Cenário perfeito pra um então candidato do PV crescer e desbancar o PT da Bahia ou seria o “PTCdoB”. Seria surpreendente se os votos de Bandeira migrassem para o candidato do PV, Márcio Jandir. Muitos dos seus eleitores com certeza não votariam no atual prefeito. E o grupo do PT, que está com ele, não deve agregar a ele nada em termos de votos ou qualquer outro valor.
Em Salvador as pesquisas apontam o favoritismo de ACM Neto conforme pesquisa registrada no Tribunal Regional Eleitoral sob o número 00018/2012.
Hoje o governador não demonstra força junto à população para fazer que seu candidato seja eleito, e por centralizar onde talvez não devesse, inteligente seria ver que seu desgaste hoje mais prejudica seu candidato do que ajuda.
Assim como ele insiste em uma mudança que se tornou trágica em Juazeiro, ele insistiu em manter um candidato do seu partido, se existe um acordo como eles tanto falam, não seria inteligente por Alice Portugal candidata lá, e aqui tentar com o seu candidato Bandeira, corre-se o risco do Carlismo voltar em Juazeiro e em Salvador, por escolhas mal feitas.
Quando não se sabe governar é assim.
Força Bandeira, Força Leonardo, força Odacy, força Meirinha, coragem João Costa, parabéns Maurício Rands. “Nunca mais o despotismo regerá nossas ações. Com tiranos não combinam, brasileiros corações.”
Luciano Eduardo - petista

Nenhum comentário:

Postar um comentário