terça-feira, 15 de janeiro de 2013

OITO Ex-prefeitos vão pro xilindró


 

Segundo a Polícia Civil, são cumpridos 25 mandados de prisão.
Ação é referente ao desdobramento da 'Operação Derrama'.

Juirana NobresDo G1 ES
Comente agora
Detidos são levados para a sede do Nuroc em Vitória. (Foto: Eliana Gorritti/ Do G1 ES)Detidos são levados para a sede do Nuroc em
Vitória. (Foto: Eliana Gorritti/ Do G1 ES)
Oito ex-prefeitos de cidades do Espírito Santo foram detidos na manhã desta terça-feira (15), pelo Núcleo de Repressão às Organizações Criminosas e à Corrupção (Nuroc), da Polícia Civil. No total, segundo a Polícia Civil, são cumpridos 25 mandados de prisão referentes ao desdobramento da 'Operação Derrama', ocorrida em 27 de dezembro. A operação foi feita a pedido do Tribunal de Contas do Espírito Santo (TC-ES) que constatou um esquema de corrupção nas prefeituras de GuarapariLinhares, Aracruz, AnchietaJaguaréPiúma eMarataízes.
Em dezembro, onze pessoas foram presas, entre funcionários municipais e fiscais de renda da Prefeitura de Aracruz, os sócios de uma empresa e um funcionário do Tribunal de Contas do Estado. Todos os presos foram encaminhados ao Centro de Triagem de Viana.
Nesta terça-feira (15), o delegado do Nuroc, Janderson Lube, informou ao G1 por telefone, que o desdobramento da 'Operação Derrama' começou durante a madrugada. “Todos os detidos estão sendo encaminhados para a sede do Nuroc, na Enseada do Suá em Vitória, onde estão sendo ouvidos”, contou Lube.
O delegado acrescentou ainda que um coletiva está programada para a tarde desta terça-feira, para esclarecer os detalhes das investigações. Janderson Lube não informou os nomes dos oito detidos até a manhã desta terça-feira.
Operação Derrama
O nome dado à operação, segundo a Polícia Civil, foi uma alusão às cobranças abusivas de taxas e impostos praticados pela Coroa Portuguesa no período do Brasil colonial. A 'derrama' tinha como objetivo estabelecer uma cota anual cobrada aos produtores de ouro em Minas Gerais e foi o motivo que desencadeou a Inconfidência Mineira, no século XVIII.

Nenhum comentário:

Postar um comentário